Medicina Alternativa

"Saúde, essência de vida."

PESQUISA


Pesquise pelo nome da planta ou doenças.

SAÚDE - Plantas Medicinais Diuréticas

As plantas diuréticas têm a propriedade de eliminar líquidos em excesso no organismo, ajudam no processo de detoxificação pelos rins e ajudam no tratamento de afecções urinárias tais como disúria, litíase e infecções urinárias em geral. Eles também são usados para várias condições de doença associadas com envelhecimento, congestão linfática, doença de pele, doenças venéreas e reumáticas. Além disso, aumentam a diurese, ajudam na purificação do sangue e são úteis em casos de infecções, icterícia e hepatite. Estas plantas ajudam a drenar o calor úmido e podem ser úteis no tratamento de doenças febris. Como o excesso de líquidos na cavidade abdominal pode debilitar o poder de digestão, algumass são úteis para desordens gastrointestinais, inclusive diarréia.
De acordo com Ayurveda, as plantas diuréticas tendem a reduzir kapha (água). A maioria tende a reduzir pitta (fogo) pela sua capacidade para eliminar o calor úmido. Porém, eles normalmente aumentam vata (ar) e, assim, devem ser usadas com cuidado em indivíduos que sofrem de desordens nervosas ou doenças debilitantes (vata aumentado).
Segundo o Ayurveda, a ação das plantas diuréticas sobre os rins não só representa uma terapia importante porque trata doenças, mas também porque mantém a boa saúde: purifica o elemento água e previne a formação de toxinas. São usadas em Ayurveda por tratar dor lombar, ciática e desordens de rim.
A terapia diurética é uma forma de terapia de ataque, como a purgação, porém menos forte. Como tal, deve ser usada com cuidado diante de uma quadro de deficiência.
As plantas que escolhemos desta categoria são: quebra-pedra, chapéu de couro, cavalinha, dente de leão, coentro e cabelo de milho.

1. QUEBRA-PEDRA
Phyllantus niruri

Nomes populares: sarandí, sarandí branco
Parte usada: folhas; uma maior proporção de princípios ativos é encontrada em plantas com mais de 2 anos de vida. Na India é comum utilizar-se a planta toda com fins terapêuticos.
Energia: fria
Ação sobre os doshas: diminui KP, aumenta V
Propriedades: desobstrutiva, diurética, adstringente e refrescante.
Ações: diurética, adstringente e refrescante.
Indicações: hepatite, gota, cálculos urinários e hepáticos, colelitíase, edemas, diabetes, azia, prostatite
Contra-indicações: gravidez, amamentação

Arbusto originário do sul do Brasil, nordeste da Argentina, Paraguai e Uruguai, podendo atingir quatro metros de altura, mas é comum em toda a Índia central e sul, indo até o Sri Lanka. Há poucos dados históricos sobre o uso desta planta na época da ocupação espanhola, mas a partir do século XIX começou a ser tradicionalmente utilizada no Rio da Prata por ser antidiabética e eliminadora de cálculos renais.
O quebra-pedra é extensamente utilizado na medicina popular como antidiabético, fazendo-se a decocção do córtex ou da planta inteira e tomando-se 2 a 3 copos/dia. A infusão das folhas (1%) também é empregada para este fim. Como diurético aconselha-se a ingestão da infusão combinada do córtex e das folhas. A infusão dos caules foliáceos é recomendada como purgante, antiictérico e antiséptico de lesões ulceradas. Aqui no Brasil o quebra-pedra é largamente utilizado como diurético, antiespasmódico e analgésico.
Uma decocçâo em leite da planta é administrada na icterícia e pode ser dada pela manhã e à noite. A planta toda também é empregada em algumas formas na hidropsia, gonorréia, amenorréia e outras afecções semelhantes. Brotos novos e tenros são administrados na forma de infusão para disenteria crônica. O suco do caule, misturado com óleo, é usado em problemas oculares. A planta, triturada com a raiz e misturada com água de arroz, é usada como cataplasma para úlceras, ferimentos e inchaços. Um cataplasma das folhas, com sal, cura coceira e outras afecções da pele. Como amargo estomacal, é útil na dispepsia.

2. CHAPÉU DE COURO
Echinodorus macrophyllum

Nomes populares: chá-da-campanha, erva-do-brejo, erva-do-pântano.
Parte usada: folhas
Energia: fria
Ação sobre os doshas: diminui KP, aumenta V
Ações: Energética, diurética, depurativa, anti-reumática, laxante, hepática, colagoga, antinflamatória e adstringente.
Indicações: doenças renais e das vias urinárias, arteriosclerose, reumatismos, afecções cutâneas, problemas do figado. O chá das folhas é bom para curar tosse, gripes, resfriados.
Contra-indicações: não há referência na literatura consultada.
Efeitos adversos ou tóxicos: o uso em excesso funciona como diurético e hipotensor.

O Chapéu-de-couro cresce espontaneamente em várias regiões do Brasil, preferindo solos de várzeas ou águas pouco profundas. No interior do Brasil é uma planta muito apreciada pela medicina popular, que lhe atribui inúmeros poderes terapêuticos.

3. CAVALINHA
Equisetum arvensis

Nomes populares: colla de caballo
Parte usada: partes aéreas
Energia: fria
Ação sobre os doshas: diminui KP, aumenta V
Ações: diurética, hemostática, remineralizante, sebostática, antiinflamatória, anti-acne, cicatrizante, adstringente, abrasiva, tonificante e revita1izante. Por suas propriedades adstringentes e detergentes (saponinas) pode atuar como coadjuvante no tratamento externo da acne.
Indicações: afecções dos brônquios e pulmões, ósseas (incluindo osteoporose), afecções articulares, hemorragias internas, úlceras gástricas, epistaxe, hipertensão, menstruação excessiva, enfermidades renais e das vias urinárias, incontinência urinária noturna em crianças e idosos, alterações prostáticas, celulite, aterosclerose; externamente: frieiras, feridas, aftas, úlceras varicosas, tonifica e revitaliza unhas, peles secas e senis; fitocosmético: acne, queda de cabelos.
Contra-indicações: os alcalóides podem induzir uma ação anticolinérgica e tóxica, razões pelas quais deve-se evitar o uso durante a gravidez.

Originária da Europa, seu nome latino deriva de "equi" =cavalo e "setum" = cauda. Seus talos verdes conferem-lhe o aspecto de uma pequena árvore de natal. A cavalinha, conhecida também como equiseto, é uma planta perene que não possui flores e conseqüentemente, sementes.
A cavalinha tem sabor levemente salgado e amargo e cresce em locais próximos a água. O chá de cavalinha é fortalecedor para todo o organismo.

4. DENTE-DE-LEÃO
Taraxacum officinalis

Nomes populares: amargón, taraxacón, achicoria amarga, almirón, pelosilla, dandelion (ingl), serralha (port), piss en lit (franc), soffione (ital).
Parte usada: rizoma (pricipalmente) e folhas.
Energia: fria
Sabores primários: amargo, doce
Vipaka: picante
Ação sobre os Doshas: diminui PK, aumenta V
Ações: alterativo, diurético, litotríptico, tônico, laxante, colagogo.
Indicações: distúrbios hepáticos, icterícia, pedras de vesícula, adenomegalias, câncer de mama, hepatite, diabetes, edemas, úlceras
Contra-indicações: Vata alto, obstrução biliar, íleo paralítico. A administração desta planta na gravidez, nas doses usuais, não demonstrou apresentar qualquer tipo de problemas tóxicos ou tearatogênicos.

A denominação dente de leão faz alusão à forma de suas folhas recortadas em forma de dentes agudos e curvos. O dente de leão é uma planta originária da Europa e Ásia. É principalmente uma planta desintoxicante para Pitta e Ama aumentados. É específico para problemas relacionados ao sistema respiratório, glândulas mamárias, feridas de tórax, tumores, cistos, supressão de lactação e linfadenomegalias. Clareia e limpa o fígado e a vesícula biliar e dispersa o acúmulo e a estagnação de Pitta.
A raiz de dente-de-leão combina bem com raiz de chicória como uma bebida de anti-Pitta (uma pitada de cada uma num quarto d´água fervida por vinte minutos). Esta mistura pode ser consumida três vezes por dia com as refeições. O dente-de-leão é bom para desintoxicação quando a dieta habitual é à base de carne e gordura.

Curiosidade:
As flores do dente de leão se abrem às cinco da manhã e fecham ao cair da tarde, razão pela qual esta planta também é chamada de relógio de pastor. Há também uma crença de que se as sementes saem voando quando há vento é sinal de chuva iminente. Assim, são conferidas ao fruto propriedades divinatórias: quando sopradas, as sementes que caem podem indica os anos de vida de uma pessoas ou o número de descedentes…

5. COENTRO
Coriandrum sativum

Nomes populares: coriandro, cilantro, culantro, coriander (igl), coriandolo (ital), coriandre (fran)
Parte usada: frutos maduros (sementes), planta fresca
Energia: fria (folhas), neutra (sementes)
Sabor primário: amargo, picante
Ação sobre os doshas: harmoniza VPK
Ações: diurética, aromática, estimulante, carminativa, colagoga, tônica, refrescante e afrodisíaca.
Indicações: o coentro é específico para fortalecer o trato urinário (tanto as folhas quanto as sementes podem ser utilizadas na forma de infusão para tratamento das infecções), problemas digestivos em geral.
Contra-indicações: não é seguro o uso do coentro durante a gravidez e a amamentação

Esta planta é cultivada largamente em toda a India a partir de suas sementes. As sementes de coentro são um remédio doméstico bom para muitas desordens de Pitta, particularmente as do trato digestivo e do sistema urinário. O coentro é muito usado como tempero; é um agente digestivo efetivo para condições de excesso de Pitta nas quais a maioria dos temperos está contra-indicada ou deve ser utilizada com precaução. O suco fresco da planta, para uso interno, é eficaz contra alergias e febre do feno. Pode ser usado também externamente para erupções cutâneas, coceira e inflamação (uma colher de chá três vezes por dia). Outras propriedades: provoca a mentruação e é vermífugo.
O cominho apresenta propriedades semelhantes ao coentro, funcionando como um antídoto para alimentos de qualidade quente e picante (ex: tomates, chilies, etc.); aumenta a digestão e a absorção e é bom para diarréia e disenteria. O coentro, as sementes de funcho e o cominho são freqüentemente usados juntos para desordens digestivas, principalmente por aumento de Pitta, e também combinados em várias formulações para promover a assimilação das outras plantas.
Os frutos são geralmente utilizados corno condimento, como flavorizante em purgantes e para prevenir cólicas. Eles disfarçam o sabor e o aroma do ruibarbo e de senna melhor que qualquer outra droga. O óleo é utilizado na lnglaterra, na cozinha e para dar aroma ao gim; é muito útil para cólicas devido a flatulência, reumatismo, nevralgia, etc. Nestes casos deve-se tomar 1 a 4 gotas de óleo, 3 vezes ao dia. A fruta seca também apresenta efeitos similares. Ë geralmente utilizado na forma de infusão para dores de garganta, flatulência, indigestão, vômitos e outras desordens intestinais, catarro. Em combinação com cardamomo e cominho forma um bom carminativo. As sementes são geralmente mascadas para corrigir odores desagradáveis da boca, constituindo um dos principais ingredientes flavorizantes nos "curries". As sementes torradas são úteis em casos de dispepsia; uma decocçâo forte em leite com acúçar adicionado à gosto e dada em casos de dispepsia, indigestão e flatulência; infusões frias das sementes ou pó das sementes fritas com açúcar são muito úteis em casos de cólicas em crianças e também para aliviar o calor interno e a sede. O coentro é considerado como redutor do efeito de intoxicação causado por bebidas alcoólicas, e é utilizado como carminativo na convalescência após diarréia. As folhas verdes são comidas cruas, assim como são utilizadas na preparaçao de molho "chutney", semelhante às folhas de hortelã, que são úteis como carminativo e antibiliar.

Receita com Coentro

Usar a mesma quantidade de sementes de coentro, sementes de cominho, pimenta do reino e sal.
Tostar os dois primeiros e misturar à pimenta do reino e ao sal. Colocar essa mistura em suco de limão, deixando repousar por 2 dias. Passado esse tempo, coar/filtrar a mistura e colocar a parte sólida ao sol, durante o dia, guardando o suco/sumo do limão. À noite, colocar a parte sólida novamente no limão e dar continuidade ao processo, até que o conjunto esteja ainda úmido, mas não molhado demais. Este preparado tem efeito digestivo e carminativo

6. MILHO
Zea mays

Nomes populares: maíz, paizo, maize ou corn silk (ingl), granturco ou mais (ital), mäis (fran), mais (alem), mayi (Haiti e Martinica).
Parte usada: estilete e estigmas (cabelo)
Energia: neutra/fria
Sabor primário: doce suave
Ação sobre os doshas: diminui PK, aumenta V
Ações: diurético (é a principal), litotríptico, colagogo
Indicações: gota, edemas, cistite, uretrite, litíase urinária (fosfatídica, oxálica e úrica).
Contra-indicações: gravidez, síndrome nefrótica, tromboflebite aguda, hiperviscosidade sanguínea.

O milho é uma planta herbácea de alto porte, podendo chegar a 2,5 metros de altura. Seria originário da América do Sul, mas é cultivado em todo mundo, sendo os Estados Unidos o principal produtor. Juntamente com o arroz e o trigo, são os principais alimentos vegetais da humanidade.

\

 




Compare Produtos, Lojas e Preços